O primeiro ano do resto da vida

Um relato do primeiro ano de uma recém-formada em jornalismo

natalee01

Estou prestes a completar um ano de graduada em jornalismo, pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). De um ano para cá, meu peito estufa de orgulho quando me questionam sobre qual é a minha profissão e eu digo com todas as letras: sou jornalista. Só que, depois dessa sensação de dever cumprido, confesso que paira a dúvida: será que realmente estou preparada para ser uma jornalista?

Continue reading

Movimento Crucificado na Avenida Paulista: Uma análise contextualizada do gesto de Viviany Beleboni

O objetivo deste estudo é avaliar o questionamento gerado pela manifestação de Viviany Beleboni, na 19° Parada do Orgulho Gay de São Paulo. Utilizando-se do símbolo da cruz e do ato da crucificação, a “Trans Crucificada” (como foi chamada Viviany) foi tema de debates em várias esferas da sociedade, inclusive nas redes sociais.  Continue reading

Qual a distância entre a moda e a arte? Um debate a partir do desfile “A costura do invisível”, de Jum Nakao

Ao longo dos séculos, muitos foram os artistas – e estilistas – que trabalharam na interface Arte – Moda. No entanto, as últimas décadas aumentaram as pressões comerciais sobre a criação na área de Moda, gerando sobre ela uma grande tensão, a partir das necessidades (sempre sazonais) do mercado e criando um abismo nessa interface. Jum Nakao caminhou pela fronteira entre e a Moda e Arte ao conceber o desfile manifesto “A Costura do Invisível”, apresentado na temporada primavera/verão da São Paulo Fashion Week, no ano de 2004.

Continue reading

Leituras críticas no Labcom Univap: subsídios para o estudo da feira livre

Autores: Natalee Neco, Maiara da Mata, Paulo Barja, Kátia Zanvettor

Abstract: A realização de reuniões semanais no Labcom Univap, para leitura e debate de textos literários e acadêmicos, permitiu ampliar o olhar crítico sobre a forma como a imprensa registra (ou deixa de registrar) eventos cotidianos significativos. A partir deste olhar, reorganizamos a percepção sobre o nosso trabalho de Conclusão de Curso para a faculdade de jornalismo, a grande reportagem sobre os feirantes de Santa Branca. Para uma comunidade, como é o caso da feira livre de Santa Branca, realizada desde 1862 no município, a identificação do padrão de ocultação verificado na imprensa valoriza a importância da memória coletiva e a história oral como fontes complementares de informação. Palavras-chave: Comunicação. História Oral. Memória Coletiva. Padrão de Ocultação. Grande reportagem. Área do Conhecimento: Comunicação Introdução O trabalho “Dia de Feira: A feira livre de Santa Branca e seus personagens” nasceu como trabalho de conclusão de curso das alunas de jornalismo da Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), Natalee Neco e Maiara da Mata. A ideia de criar um artigo sobre o processo de produção do trabalho surgiu no Laboratório de Estudo, Pesquisa e Prática em Comunicação, Ciência e Sociedade (LabCom Univap), grupo de pesquisa do qual as referidas alunas participam. Deste modo, o artigo associa as obras acadêmicas trabalhadas com as obras literárias debatidas no grupo de pesquisa.

Para ler o artigo completo clique aqui.

Anos Rebeldes e Jornalismo: um estudo das possíveis relações

Autores: Jader Arantes, Paulo Barja, Kátia Zanvettor

Abstract: Este artigo pretende apresentar estudos iniciais das relações entre a teledramaturgia e o jornalismo existente na minissérie brasileira Anos Rebeldes. O estudo, que compõe um projeto de iniciação científica desenvolvido no Labcom Univap, pretende refletir sobre como o agendamento, aplicado geralmente no jornalismo, dialoga com as possíveis funções da teledramaturgia e como elementos de gêneros jornalísticos estão presentes na narrativa ficcional como instrumentos auxiliadores na reconstituição e aproximação de acontecimentos do período da Ditadura Militar brasileira. A análise constitui-se de duas principais etapas: 1) Pesquisa bibliográfica referente ao jornalismo, teledramaturgia e interfaces entre ambas; 2) Análise do roteiro da minissérie comentado pelo próprio autor.

Para ler o artigo completo clique aqui.

O infográfico e a manipulação dos dados

Autores: Paula Vinhas, Paulo Barja, Kátia Zanvettor.

Abstract: Utilizando de um estudo reflexivo sobre a infografia e manipulação de dados, através de uma pesquisa bibliográfica e estudo de caso, traçamos o cenário no qual o infográfico ganha força. A partir deste é trabalhada a manipulação histórica jornalística e o conceito de infografia. Como matéria instigante é apresentada a possível manipulação no caso dos dados divulgados pelo IPEA do SIPS em 27 de março, que teve grande repercussão na mídia pela revelação e margem para interpretação que os dados proporcionavam até 4 de abril, quando o IPEA revelou um erro no processamento das estatísticas. O estudo deste caso foi realizado através de uma pesquisa quantitativa com 10 infográficos divulgados pela imprensa entre 27 de março e 3 de abril.

Para ler o artigo completo clique aqui.

A experiência da implantação do Labcom Univap: pesquisa e sensibilidade

Autores: Alan Novaes, Gabrielle Prado, Jader Arantes, Paula Vinhas, Luciano Toriello, Maiara da Mata, Natalee Neco, Paula Barja, Kátia Zanvettor.

Abstract: Este trabalho apresenta o processo de implantação do Laboratório de Estudo, Pesquisa e Prática em Comunicação, Ciência e Sociedade (LabCom Univap) na Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação (FCSAC) na Universidade do Vale do Paraíba (Univap). O objetivo do grupo é estimular reflexões sobre a inter-relação Comunicação, Ciência e Sociedade. O estabelecimento do grupo se valeu de uma metodologia diferenciada, com a discussão conjunta de estudos teóricos aliados a leituras e experiências literárias. Os resultados preliminares apontam para a formação de um coletivo participativo e produtivo, impactando diretamente na melhora da motivação dos estudantes nas práticas acadêmicas, com a constituição de três projetos de iniciação científica, um artigo coletivo e o desenvolvimento de um espaço virtual para o Laboratório.

Para ler o artigo completo clique aqui.

Ementa – 9° reunião

28/04/2014

A 9ª reunião do LabCom Univap, foi iniciada com uma conversa sobre a aquisição de bolsas do PIBIC e Fapesp, o funcionamento destas e sobre como é o trabalho de iniciação científica.

Em seguida, a professora Kátia Zanvettor apresentou ao grupo os resultados de sua reunião com a coordenadora de pesquisa, Sandra Costa, que possibilitou o processo de oficialização do grupo de pesquisa e também sobre pedidos de bolsa e a contribuição da instituição para a ida em eventos e congressos acadêmicos.

Para os alunos do último ano do curso de Jornalismo (Luciano, Maiara e Nathali), foi sugerida a elaboração de projetos de pesquisa para serem apresentados na Intercom Júnior, como resultado de um trabalho realizado na instituição. O trabalho será um artigo científico abordando os resultados e a temática do TCC.

A partir disso, a reunião se encaminhou para uma reflexão sobre o grupo de pesquisa. O professor Paulo Barja afirmou que sempre devemos fazer indagações sobre o que é um grupo de pesquisa, para ele, é fazer boas perguntas.

Gabrielle Prado questionou sobre o conteúdo dos artigos científicos. Para a professora Kátia,um artigo nem sempre apresentará conclusões, mas também o processo da pesquisa.

A reflexão se estendeu aos valores intrínsecos de um curso de comunicação, que vai muito além do aprendizado técnico. O valor reflexivo do curso é necessário ao estudante de jornalismo para também encarar melhor o dia-a-dia da profissão, complementando a técnica.

No final do encontro, foi estabelecido o sistema de estudo dos livros literário e teórico, organizados do seguinte modo:

Dia 5 de maio (próximo encontro) – Discussão do livro teórico, “Padrões de manipulação na grande imprensa, de Perseu Abramo.

(atenção ao hiperlink para a versão em pdf do livro, encontrei no 4shared)

Dia de 12 de maio – Orientação e sistematização da dinâmica dos trabalhos realizados pelo grupo de pesquisa.

(A professora Kátia sugeriu que o professor Paulo Barja, seja o orientador da Paula Vinhas).

Dia 19 de maio – Discussão do livro literário, “1984” de George Orwell.

(atenção ao hiperlink para a versão em pdf, disponibilizada pelo professor Paulo).

Dia 30 de junho – Para o encerramento do primeiro semestre do grupo de pesquisa, a professora Kátia sugeriu a realização de um sarau e coquetel.

Foi realizado o primeiro registro fotográfico do grupo. Clique aqui

Ementa – 5° reunião

O quinto encontro, realizado no dia 24 de março, iniciou com a conversa de como organizaríamos a leitura do livro 1984, de George Orwell: dia 28 de abril, discussão sobre a primeira parte do livro; dia 26 de maio, discussão sobre a segunda parte; dia 30 de junho, discussão sobre a terceira parte.

Decidido à leitura, a orientadora Kátia Zanvettor, abriu um debate para saber qual foi o senso crítico extraído do texto “Da Apuração à Construção da Notícia: O Webjornalismo Participativo no site G1”.

Após o debate, ela esclareceu algumas dúvidas em relação ao modo de como iniciar a pesquisa, e organizou o grupo em duas turmas: A e B. Cada integrante da turma terá que apresentar o seu projeto de pesquisa, com um tempo estimado de 10 minutos.

– Turma A: Jader, Luciano, Maiara e Natalee. Apresentação: 31 de março. – Turma B: Gabrielle, Guilherme, Patrícia e Paula. Apresentação: 7 de abril.

A orientadora falou sobre as expectativas que tem em relação ao grupo e que pretende montar um Fórum. Em seguida, passou uma técnica para organização de tempo, que auxilia nas tarefas diárias. Saiba mais…

Por fim, o grupo chegou a um acordo para o encontro extra que será realizado no fim de semana. Essa reunião acontecerá no dia 26 de abril, às 19h, na Pizzaria Villa Maiori.